Imortal



Busco mais e mais a vida
e só quero o anoitecer,
quando - estrela - aguerrida,
fizer-me nunca esquecer...


Trova.
Sílvia Mota.
Cabo Frio, 19 de outubro de 2009 – 16h56.

eu, em ti, medíocre?

Rebolas, gritas, faisão,
que tens outros universos,
pergunto: por qual razão,
não te afastas dos meus versos?

****************************************
Sílvia Mota - "Poeta do Amor e da Paz"
Cônsul dos Poetas Del Mundo em Cabo Frio
****************************************
Cabo Frio, 11 de agosto de 2009 – 4:09hs.

adeus, amor?

se me disseres adeus,
viverei nos olhos teus,
a escrivinhar meu destino,
solta ao vento, em desatino.


Sílvia Mota.
Cabo Frio, 7 de setembro de 2009 – 1:43hs.

adeus, amor!

canto meu, em desencanto,
chora dores, verte amor,
fico em ti, num acalanto,
vens a mim, me esvaio em dor...

Sílvia Mota.
Cabo Frio, 7 de setembro de 2009 - 1:24hs.

AGOSTO/2009

Ohhh! Sol!!!

Chegaste... e lá vou a dormir,
virei toda a madrugada,
soubeste me abduzir,
em trova te fui lua amada.


Sílvia Mota.
Cabo Frio, 25 de agosto de 2009 - 6:24hs.

deformidade?

Eu vivo o Amor! Oh! Amor!
Tesão, eu sinto! Oh! Tesão!
Consigo Amor sem Tesão,
Jamais, Tesão sem Amor!


Sílvia Mota - "Poeta do Amor e da Paz".
Cabo Frio, 24 de agosto de 2009 – 21:17hs.

coração trovador

no teu peito bate e canta
pensamento sedutor,
coração malvado encanta
com promessas de um amor.


Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz.
Cabo Frio, 26 de julho de 2009 – 23h15.

eu-paz, nua?

impossível ter sossego
e ser paz em noite-lua,
pois, no teu desasossego,
tu me queres sempre nua!


Sílvia Mota.
Cabo Frio, 25 de julho de 2009 – 12:27hs.

vestido vermelho








tenho um vestido vermelho
bonito, cheio de graça,
justinho, acima do joelho...
arraso! que mulheraça!



Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz
Cabo Frio, 24 de julho de 2009 – 21h53







Fundo musical: Gostosa. Wando.







erro certeiro

adormeço do teu lado,
sonho muita diabrura!
abro os olhos - lado errado!
beijo tudo - que loucura!

Sílvia Mota.
Cabo Frio, 23 de julho de 2009 – 23:12hs.

minha sina de ti

Se o teu destino bendiz,
que te separes de mim,
o meu, sorrindo me diz,
que te busque mesmo assim!


Trova.
Sílvia Mota.
Cabo Frio, 20 de julho de 2009 – 20:47hs.

amor eterno



quero morrer nos teus braços,
bem melhor não pode ser,
prá que mais, senão nos laços
onde amarrei meu prazer?


Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz.
Cabo Frio, 5 de julho de 2009 – 15h12.

abraçando-te




não posso falar de abraço
pois sonho aqui na saudade...
e ao me lembrar do teu braço
abraço-te... e a dor me invade


Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz.
Cabo Frio, 4 de julho de 2009 – 22h56.

MAIO/2009

duas rosas?




uma rosa... ou são duas rosas?
oh! que meninas charmosas!
fazem versos, bailam belas
e sem causar mil querelas!

Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz.
Cabo Frio, 25 de maio de 2009.

Morfeu ladino



meu corpo em veneração
teu corpo no meu sentir -
sonho de amor e ereção
que não me deixa dormir.



Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz.
Cabo Frio, 24 de maio de 2009 - 1h01.

Aos poetas... todos os poetas!




ah! que bonito, que ardor!
é tão bom ver-te a escrever
nesses teus versos de amor,
coisas lindas de se ler!

Cabo Frio, 6 de maio de 2009 - 17h03

fantasia



como é gostoso encantar
na cadência da poesia,
a gente se põe a cantar
seja noite ou seja dia!


Sílvia Mota a Poeta e Escritora do amor e da Paz.
Cabo Frio, 5 de maio de 2009 – 17h04.

teus olhos... ah! indefesos!




teus olhos... ah! indefesos!
são fonte de sedução,
são dois carvões muito acesos
queimando-me em atração.


Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz
Cabo Frio, 5 de maio de 2009 – 12h33

inútil mentir

enquanto houver um só verso,
a falar de indiferença,
podes crer - é incontroverso,
não te esqueci - é a sentença.


Trova.
Sílvia Mota.
Cabo Frio, 3 de maio de 2009 – 10:02hs.

ABRIL/2009

amor clandestino

Sandrinho, eis que o destino
te põe por cima de mim,
me põe por baixo de ti...
Isto é amor clandestino!!!

*******************

Simples brincadeira postada na Comunidade do orkut: "CINQUENTA E UNNSSS & FAMÍLIA", em 29 de abril de 2009, às 11h34.

FEVEREIRO/2009

viagem - Rio/São Paulo

c’oas nuvens no meu regaço,
estou pertinho do céu...
mas, nem de longe, este céu,
me traz a paz do teu braço...


Trova.
Sílvia Mota.
Rio/São Paulo, 8 de fevereiro de 2009 - 11:35hs.

NOVEMBRO/2008

jamais me perderás

se acaso tu me perderes
por esta vida em relevo,
procura e me encontrarás
nos mil versos que te escrevo...


Trova.
Sílvia Mota.
Cabo Frio, 27 de novembro de 2008 – 12:28hs.

para sempre no teu olhar

aceito teu nada por inteiro

se não me podes dar tu'alma,
teu corpo quero - guerreiro;
se ao provocar minha calma,
que seja meu - por inteiro!


Trova.
Sílvia Mota.
Escrito em: Cabo Frio, 2 de novembro de 2008 – 13:05hs.

OUTUBRO/2008

quero-te a ti



disseste-me entre beijos:
-“Qualquer homem podes ter”...
não me ouviste em meu silêncio:
-“Eu só quero tua ser.”


Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz.
Cabo Frio, 22 de outubro de 2008 – à tarde.

incidência e divergência

a paz da minha poesia
ao te encantar te fez meu,
mas o fragor do meu dia
no teu medo se perdeu

Trova.
Sílvia Mota.
Cabo Frio, 17 de outubro de 2008 - 23:03hs.

nutrimentum spiritus

o zéfiro nutre o fogo
que fenece à ventania:
tua presença, vida em rogo;
tua ausência, morte em poesia


Trova.
Sílvia Mota.
Cabo Frio, 16 de outubro de 2008 – 18:35hs.

MAIO/2008

nulidade




alheio ao beijo carnudo,
qual o teor e o arrebol
deste meu corpo desnudo,
dourado e ardente de sol?


Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz
Cabo Frio, 6 de maio de 2008 - 18h20.

DEZEMBRO/2007

mestre-ardor

sou brasileira patriota
eu sou Piquete em canção,
sou fêmea-mãe, lua, gaivota
e mestre ardor por opção

Sílvia Mota.
Cabo Frio, 18 de dezembro de 2007.

NOVEMBRO/2007

AGOSTO/2003

meus beijos

Enaltecer nosso amor,
confesso-te, eu não mais sei.
Somente canto este ardor
dos beijos que te guardei.

Trova.
Sílvia Mota.
Rio de Janeiro, 9 de agosto de 2003.

únicos verdadeiros amores da minha vida

Hoje, filhotes airosos,
sinto saudade dorida
dos seus cachinhos formosos
que me enfeitaram a vida!

Sílvia Mota.
Rio de Janeiro, 9 de agosto de 2003.

vestida de flor

hoje você nos sorri
toda vestida de flor
pois traz bem dentro de si
neném em forma de amor

Trova.
Sílvia Mota.
Rio de Janeiro, 1977.